segunda-feira, 28 de abril de 2008

Sociedade e Espiritismo: uma renovação necessária

Sociedade e Espiritismo: uma transformação necessária.


“Muitas pessoas pensam, por outro lado, que O Livro dos Espíritos esgotou a série de perguntas de moral e de filosofia; é um erro; por isso, é talvez útil indicar a fonte de onde se pode tirar assuntos de estudo, por assim dizer, ilimitados” (KARDEC, Allan. O Livro dos Médiuns. Tradução Salvador Gentile, revisão de Elias Barbosa. Araras, SP. IDE, 59ª edição, 2001).


* Geylson Kaio


Primeiro, é importante lembrar que o Espiritismo é maior do que a soma de suas partes. Maior do que cada pessoa em particular, do que cada instituição ou segmento espírita organizado.
Quando se afirma que o Espiritismo é uma representação do ensino coletivo dos Espíritos – e aí devemos entender que os Espíritos são seres que povoam o universo e constituem uma das forças da natureza, podendo estar na dimensão dos encarnados ou dos desencarnados – se afirma também, que a construção do ensino Espírita, com base na coletividade, é uma das forças de autoridade do seu movimento transformador.
A sabedoria espiritual de Allan Kardec e a permanente assessoria dos bons Espíritos sempre o colocaram na trilha das idéias progressistas e humanitárias. A sua contribuição pessoal foi tão decisiva e determinante para a nova ordem dos acontecimentos futuros do Espiritismo, que a concepção de uma Doutrina filosófica, de profundas conseqüências éticas e morais, sem as barreiras separatistas da religião, fizeram do Espiritismo uma das ferramentas mais importantes de evolução da humanidade inteira.
O sectarismo e o exclusivismo arbitrário, autocrata, são próprios daqueles que se jactam maiores do que o são. E, neste sentido, Allan Kardec é imune. É imune porque seu pensamento e suas idéias sempre se pautaram pelas bases da ciência da época e pelo bom senso de tudo o que está relacionado ao progresso do Espiritismo. Ele realmente foi o grande iniciador de um movimento de idéias progressistas e transformadoras em assuntos ontológicos, transcendentes, espirituais e sociais.
Quando vemos suas afirmações no livro “O que é o Espiritismo”, por exemplo, percebemos o quanto ele esteve preocupado com o justo entendimento do Espiritismo, que não impõe nada a ninguém, demonstrando que o seu lugar no mundo é o centro, o meio, independente de toda e qualquer questão dogmática. E que o mais importante para um Espírita é a prática do bem. Allan Kardec via o Espiritismo como uma grande potência que revolucionaria o mundo com seus princípios e sua filosofia libertadora. Uma síntese de conhecimentos e princípios espirituais.
Mas aqui cabe uma outra reflexão que se faz urgente para nós espíritas: como renovar o mundo, se não estamos envolvidos direta e afirmativamente nas questões sociais que assolam o planeta? Como construir uma relação harmoniosa com o outro, quando a sociedade em que vivemos está doente? Como estreitar os laços sociais e familiares, se não conseguimos nos libertar do orgulho e do egoísmo avassaladores?
É necessária uma renovação na mentalidade de todos nós que pensamos o Espiritismo apenas nos limites dos Centros e Instituições Espíritas. É necessária uma reorganização do fazer Espírita. É necessária uma maior participação social dos Espíritas nas políticas públicas do país. É necessária uma parceria que vise à totalidade do Espiritismo e não apenas a sua representação simbólica na sociedade. É necessária uma renovação social. Mas antes de tudo, é necessária uma vontade firme de começar mudando a si mesmo. Conhece-te a ti mesmo.


* Geylson Kaio – Psicólogo Clínico; Educador Espírita e Vice-presidente da ASSEPE.

2 comentários:

amado disse...

Geylson Kaio

Parabéns pelo blog e por esta postagem.

Estou pouco a pouco conhecendo as idéias do CEPA

leferreiradiogenes disse...

Fico Riste com ete novo Pensar. Querer um espiritismo Laico. Longe da Religião. Copm Cereteza ainda Farei de Hesus meu mestre. Aliá os Acaemicos, tem uma mnai de destruir tudo na tetantiva de impor a ciencia com fim de Tudo.
Dizem que no Estdos Unidos existem, um grupo de Cientista tentando provar a não existencia de Deus. Será que a CEPA faz Parte?