sexta-feira, 26 de junho de 2009

Ciência e fé: diferenças cruciais

Um comentário:

Homero disse...

Richarde Dawkins é um polêmico cientista ateu que me parece intelectualamente honesto, a minha opinião,embora parece exagerar.
O que ele fala sobre as religiões em geral, é verdade num nível: os critérios de verificação da verdade da religião não são as mesmas da ciência, mas não necessariamente por isto elas deixam de ser verdades que podem trazer significado à vida dos que nelas crêem, provendo consolo, esperanças e normas para uma vida mais saudável. E o Espiritismo, escapa disto? Acho que, na proposta de Kardec, sim, mas não na prática real que percebo na grande maioria dos espíritas. E, se esta minha percepção for verdade, isto torna o Espiritismo menos positivo? Acredito que em termos de poder consolador, provedor de esperança e estímulo à caridade, este Espiritismo prático mantem a sua força para a grande maioria das pessoas. Mas, acho que se torna menos positivo em termos do crescimento intelectual daquele que sssim o pratica.